ECLIPSES DE QUANDO ÉRAMOS CRIANÇAS: MEMÓRIAS VIVENCIALMENTE SIGNIFICATIVAS DE ECLIPSES DO SOL

Autores

  • Néstor Camino Complejo Plaza del Cielo CONICET-FHCS UNPSJB
  • Santiago Paolantonio Observatorio Astronómico de Córdoba – Museo Astronómico, Córdoba

DOI:

https://doi.org/10.37156/RELEA/2017.24.069

Palavras-chave:

Eclipses solares, Memórias, Vivencialmente significativo, Ensino da Astronomia.

Resumo

Desenvolvemos um estudo interpretativo qualitativo com adultos com mais de 65 anos, recuperando suas lembranças de eclipses solares vistos quando meninos entre 1921 e 1960 (18 parciais, 4 anulares e 3 totais). Buscamos corroborar se as experiências "vivencialmente significativas" das crianças, neste caso: a visualização dos eclipses do Sol, podem ser recuperadas décadas mais tarde através de memórias, com um bom grau de correspondência com o fenômeno. Os registros foram obtidos solicitando a descrição da memória, a idade que eles tinham, a que hora e lugar e com quem eles viram, e como eles aprenderam sobre a ocorrência do fenômeno. O estudo foi desenvolvido ao longo de vários anos através de entrevistas pessoais e questionários escritos; A participação de adultos mais velhos foi voluntária. Com as lembranças que a história do espaço-tempo permitiu, identificamos o que teria sido o eclipse observado, também localizando no mapa da Argentina quem e de onde outros viram o mesmo eclipse. Nosso objetivo é fornecer novos elementos para apoiar um Ensino de Astronomia que não só tende a construção de aprendizagem significativa em geral, mas também para gerar experiências de vida que sejam significativas para pessoas e socialmente relevantes para todos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2017-12-15

Como Citar

Camino, N., & Paolantonio, S. (2017). ECLIPSES DE QUANDO ÉRAMOS CRIANÇAS: MEMÓRIAS VIVENCIALMENTE SIGNIFICATIVAS DE ECLIPSES DO SOL. Revista Latino-Americana De Educação Em Astronomia, (24), 69-101. https://doi.org/10.37156/RELEA/2017.24.069

Edição

Seção

Artigos