A TEORIA DO BIG BANG E A NATUREZA DA CIÊNCIA

Autores

  • Luiz Henrique Martins Arthury IFSC - Instituto Federal de Santa Catarina Campus Jaraguá do Sul
  • Luiz O. Q. Peduzzi UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina. Departamento de Física.

DOI:

https://doi.org/10.37156/RELEA/2015.20.059

Palavras-chave:

Cosmologia moderna, Teoria do Big Bang, Natureza da Ciência, História e Filosofia da Ciência, Ensino de Astronomia, Ensino de Física.

Resumo

A cosmologia moderna se constituiu, ao longo do século XX até os dias atuais, como um campo bastante produtivo de pesquisa, resultando em grandes descobertas que atestam sua força explicativa. A Teoria do Big Bang, nome genérico e popular do modelo padrão da cosmologia, é provavelmente o programa de pesquisa mais ousado da física e da astronomia, ao tentar recriar a evolução de nosso universo observável. Mas diferentemente do que se poderia pensar, suas hipóteses são de um grau de refinamento e evidências corroborativas que a fazem ser nossa melhor explicação para a história de nosso cosmos. A Teoria do Big Bang se apresenta também como um excelente campo de conhecimento para se discutir questões a respeito da própria atividade científica. Nesse trabalho discutimos os principais elementos dessa teoria com um olhar epistemológico, resultando em um texto bastante útil para ser trabalhado em atividades didáticas com objetivos correlatos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Henrique Martins Arthury, IFSC - Instituto Federal de Santa Catarina Campus Jaraguá do Sul

Licenciado em Física, mestre em Educação Científica pela UFSC (PPGECT) e doutorando pelo mesmo programa. Professor efetivo do IFSC - Campus Jaraguá do Sul.

Downloads

Publicado

2015-12-15

Como Citar

Arthury, L. H. M., & Peduzzi, L. O. Q. (2015). A TEORIA DO BIG BANG E A NATUREZA DA CIÊNCIA. Revista Latino-Americana De Educação Em Astronomia, (20), 59–90. https://doi.org/10.37156/RELEA/2015.20.059

Edição

Seção

Artigos