REVIVENDO ERATÓSTENES

Autores

  • Paulo Cesar R. Pereira Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro, e-mail - pcpereira@pcrj.rj.gov.br

DOI:

https://doi.org/10.37156/RELEA/2006.03.019

Palavras-chave:

latitude, longitude, passagem meridiana, altura, declinação solar, Eratóstenes, circunferência da Terra.

Resumo

Fazendo parte das comemorações do Ano Internacional da Física e tendo como principal objetivo introduzir estudantes do ensino médio ao método científico, a Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro, em parceria com diversas instituições do Brasil e da Europa, coordenou a atividade “Revivendo Eratóstenes” cujo objetivo foi a determinação da circunferência da Terra. Para isso, utilizou-se um procedimento semelhante ao empregado pelo sábio Eratóstenes há mais de 2.000 anos, com algumas adaptações. Este trabalho propõe e analisa o método que empregamos, visando a aplicação em escolas. A possibilidade de se trabalhar com locais em diferentes meridianos permite uma melhor compreensão dos conceitos mas abstratos, como coordenadas e fusos horários. A precisão dos resultados é bastante razoável, melhorando para cidades bem afastadas. Finalmente, uma das conclusões mais importantes é a percepção, por parte dos estudantes, da importância da colaboração (neste caso, internacional) para resolver problemas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-12-01

Como Citar

Pereira, P. C. R. (2006). REVIVENDO ERATÓSTENES. Revista Latino-Americana De Educação Em Astronomia, (3), 19–38. https://doi.org/10.37156/RELEA/2006.03.019

Edição

Seção

Artigos