O PERIGO QUE VEM DO ESPAÇO

Autores

  • Paulo Bedaque bacharel e licenciado em Física (USP), mestrando em Educação a Distância (UNED – Madri – Espanha – cátedra da UNESCO) e autor de livros didáticos de ciências (Ed. Saraiva).

DOI:

https://doi.org/10.37156/RELEA/2005.02.103

Palavras-chave:

Asteróides, colisões cósmicas.

Resumo

Entre os muitos riscos que corre o ambiente terrestre, existe a possibilidade, ainda que remota, de choques com pequenos corpos celestes como cometas, asteróides e meteoróides que podem provocar desde pequenas colisões sem grandes conseqüências até cataclismos de enormes dimensões, com reflexos para toda a vida existente na Terra. A taxa das colisões, como era de se esperar, é tanto maior quanto menores forem as dimensões e a massa do corpo externo. É possível fazer simulações levando-se em conta o diâmetro médio do objeto celeste, sua densidade, a velocidade e o ângulo de colisão para estimar as conseqüências que trariam tais colisões. É possível também estimar ampère probabilidades dos choques e avaliar os reais riscos que nosso planeta corre e com que periodicidade podemos esperá-los. Os resultados dessas simulações aparecem em gráficos de modo a facilitar a analise final. Por fim, lembramos que existem centros de pesquisa em várias partes do mundo trabalhando no patrulhamento do céu na busca de possíveis "agressores" e na estimativa dos reais riscos que corremos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2005-12-01

Como Citar

Bedaque, P. (2005). O PERIGO QUE VEM DO ESPAÇO. Revista Latino-Americana De Educação Em Astronomia, (2), 103–111. https://doi.org/10.37156/RELEA/2005.02.103

Edição

Seção

Artigos